Chegámos ao fim do nosso passatempo Revista Bimby – Eu sou fã!

Muito obrigado a todos os concorrentes pelo empenho demonstrado e pelas deliciosas receitas. Até à próxima!

Vencedores de Agosto de 2019

1º lugar

Raquel Ferreira

Até ao lavar dos cestos, é vindima…

Setembro é o mês que abala o verão, é o mês que embala o verão.

Em seus braços, adormece a mais eloquente estação, intensa e doce.

De oferenda, vem o fruto que leva Portugal a todos os cantos do mundo.

O povo fácil e gentil transforma os cachos em vinho, numa mestria que só a alma conhece.

Que a nossa gente conhece… até ao lavar dos cestos.

E os bagos de uva caídos por entre as vinhas, de entre os cestos, pelas veredas ao lagar?

A tua Bimby sabe bem o fim que lhe há-de dar…

2º lugar

Leonor Silva

As memórias olfativas e gustativas da nossa infância perduram ao longo da nossa existência.

Quando era pequena tínhamos a casa cheia de amigos, e recordo com muita saudade a minha Mãe, que era uma exímia cozinheira, a enrolar migas para acompanhar com entrecosto, a preparar açorda alentejana, tortilhas para além de maravilhosas, peixe espada com molho de vinho da Madeira ou pratos mais exóticos como bagi-puri de batata, entre muitos outros, no fogão com forno a gás, que ainda hoje existe.
As memórias do meu filho serão construídas a partir dos pratos confecionados com aquela máquina tão familiar: a Bimby.

Tal como a minha Mãe, tento privilegiar a comida feita de raiz, minimizando o recurso a alimentos processados, e diversificando ao máximo a nossa alimentação. Com a ajuda da Bimby, claro.
E quando o rapaz pede pizza? Só é fast food na medida em que é muito rápida de preparar com a Bimby, sem descurar os ingredientes. E é maravilhoso observar o seu entusiasmo a pôr as mãos na massa, para estendê-la e posicionar os ingredientes antes de ir ao forno.
E, no fim, a cereja no topo do bolo: “Mamã, estava deliciosa. Esta é uma receita a repetir!”

3º lugar

Ricardo Almeida

Isto de ter filhos gémeos, ainda por cima um rapaz e uma rapariga, não é tarefa fácil. Passam o tempo todo a implicar um com o outro, a compararem-se, a corrigirem-se, enfim…

Num destes dias, a meio da tarde e já sem muita paciência para os ouvir, decidi pôr a Bimby a trabalhar para fazer as pizas na frigideira com fiambre, queijo e cogumelos, por serem rápidas e para ver se a coisa animava, uma vez que eles gostam muito de piza.

Sentámo-nos à mesa e desafiei-os a dizerem provérbios ou ditados populares portugueses. Entre as mais normais como “Quem não arrisca não petisca” ou “Quem vai à guerra dá e leva” saíram outras adaptadas à ocasião:
“Mais vale uma fatia de piza na mão do que duas a voar”;
“A frigideira da vizinha é sempre melhor que a minha”;
“Haja piza com fartura, que a fome ninguém atura”;
“Negra é a ceia em casa alheia e mais negra para quem sem a Bimby a ceia”.
Foi uma risota e as pizas despareceram num instante!